Abordagens terapêuticas menos invasivas ganham espaço no tratamento das dores na coluna

Abordagens terapêuticas menos invasivas ganham espaço no tratamento das dores na coluna
18 de April de 2017
Movimento para a saúde da coluna
25 de April de 2017
Mostrar todos

Abordagens terapêuticas menos invasivas ganham espaço no tratamento das dores na coluna

Quando o assunto é dor nas costas, os dados são alarmantes. Já que é a segunda maior queixa entre os brasileiros e também a segunda maior causa de afastamentos do trabalho no Brasil. No entanto, a medicina tem evoluído muito no que se refere as alternativas de tratamento e prevenção, o que foi pauta do programa Bem Estar, onde participaram do programa o consultor e médico do esporte e o neurocirurgião Adriano Scaff Garcia. Ambos valorizam a as novas diretrizes de tratamento do Colégio Médico Americano, maior associação médica dos EUA, que colocam os remédios em segundo plano no tratamento das dores da coluna. Segundo os especialistas, a medicina tem evoluído muito nos tratamentos das dores na coluna, e hoje oferece diversas alternativas terapêuticas, que podem aliviar ou eliminar as dores de forma menos invasiva. Um Hospital de São Paulo chegou a criou um projeto para diminuir o número de cirurgias de coluna. Em quatro anos, 2.700 pacientes foram atendidos e 65% não precisaram fazer cirurgia. Os pacientes que já receberam a indicação para operar são reavaliados, para saber se é possível evitar a mesa de cirurgia. “A grande maioria dos casos é não-cirúrgico. O tratamento é conservador e poucos pacientes necessitam de cirurgia”, explica o ortopedista e coordenador do projeto Mario Ferreti. Ou seja, a ideia é diminuir a inflamação, aliviar a dor e então tratar o problema e a reincidência. Esse processo associa um plano terapêutico, criado de forma personalizada pelo médico em conjunto com a equipe multidisciplinar de fisioterapeutas, quiropraxista, acupunturista e nutricionista. O objetivo é avaliar de maneira individualizada cada caso, atendendo todas as necessidades e objetivos específicos do paciente, combinando terapias que ofereçam alívio, resposta de tratamento e resultados duradouros. Foi o caso da ginasta e hoje arquiteta, Luiza Seifred, que foi forçada a abandonar o esporte há pouco mais de uma década por causa de fortes dores na região lombar e no quadril. Teve de trocar os treinos e as competições por uma penosa peregrinação por consultórios. Tentou vários médicos, tomou remédios de todo tipo e fez infiltrações com corticoides, mas o problema nunca ia embora. Cinco anos atrás, encontrou um ortopedista na Coluna Porto Alegre, Dr. Jorge Schreiner, que sugeriu uma via não medicamentosa, que combinava exercícios para reforçar a musculatura e uma terapia de Reeducação Postural Global (RPG), feita sob orientação de uma fisioterapeuta e que algum tempo depois finalmente experimentou a vida sem dor. Depois de anos de sofrimento e limitações no dia a dia, a dor nas costas desapareceu. E sem necessidade de qualquer remédio. Qual o melhor tratamento diante de tantas novas alternativas? Isso quem definirá em conjunto com o paciente e a equipe multidisciplinar, será o médico especialista. E cada caso é um caso. Por isso a necessidade de buscar uma avaliação médica com profissional que já trabalhe com esta nova abordagem e que tenha resultados comprovados neste sentido. A Coluna Porto Alegre, Dr. Jorge Schereiner é referência no Rio Grande do Sul, nas abordagens terapêuticas que valorizam a filosofia de “Menos medicamentos e mais terapias alternativas para tratar a dor nas costas”. Coluna Porto Alegre | Dr. Jorge Schreiner e Dr. Lucas Zanetti. Av. Cristóvão Colombo 3550. Agende avaliação. Fone: 51.3027.3677 whatsapp (51) 9944-5703. Acesse também www.colunaportoalegre.com.br FONTE: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/09/especialistas-falam-sobre-tratamentos-que-aliviam-dores-na-coluna.html FONTE: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2017/03/menos-medicamentos-e-mais-terapias-alternativas-para-tratar-a-dor-nas-costas-9740048.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *