Cervicalgia e o distúrbio do labirinto (vertigem)

Novo método previne e acaba com dores na coluna.
11 de October de 2017
EUA e a guerra contra os opioides
27 de October de 2017
Mostrar todos

Cervicalgia e o distúrbio do labirinto (vertigem)

Apenas quem já passou por uma crise de labirintopatia sabe o valor do equilíbrio e da importância do alinhamento postural. A tontura, vertigem e a falta de equilíbrio é a sensação mais irritante e desesperadora que existe, e entre diversos fatores, pode ser ocasionada por distúrbios músculo-esqueléticos, distúrbios cervicais ou labiríngicos. Mais comum do que se imagina a labirintopatia afeta quase 30% da população mundial, segundo a OMS, e poucas pessoas ainda sabem como lidar ou prevenir novos episódios. Em artigo publicado pela washingtonmedicalcenter, encontra-se ampla abordagem sobre a associação da cervicalgia e o distúrbio do labirinto ( região da orelha interna ligada à audição, noção de equilíbrio e percepção de posição do corpo). O que chamam de vertigem posicional paroxística benigna (VPPB, também chamada de cupololitíase) é uma doença muito comum caracterizada por tonturas objetivas a curto prazo.Segundo o artigo, a vertigem surge decorrente de um distúrbio do órgão do equilíbrio, caracterizado pelo desprendimento de alguns “seixos” (otolitos) que vão perturbar o bom funcionamento do ouvido interno causando labirinto. E apesar de ainda existir muita discordância e ampla discussão acerca dos gatilhos que desencadeiam as crises, é uma observação comum, no entanto, que os sofredores de vertigem posicional paroxística benigna – VPPB têm vários problemas posturais, em particular uma forte tensão na musculatura cervical. Por esta razão, cresce ainda mais a hipótese de que a tensão constante do músculo cervical (mas mais precisamente mandibular) pode ser um componente importante na gênese do problema. Sabendo disso, tratar a tensão dos músculos cervicais, através de alinhamento e correção postural, adotando hábitos saudáveis de estilo de vida, com a adoção de prática de exercícios, alongamentos, e acompanhamento profissional que previna novos gatilhos, é uma das alternativas mais eficazes para manter as vertigens e tonturas distantes. O mais importante é identificar o gatilho, o que causou a crise e combatê-la com todos os recursos disponíveis.
A vertigem com origem postural geralmente se manifesta dessa maneira: tonturas subjetivas, baixa intensidade, mas duradoura ou mesmo náusea constante perturbação da visão inespecífica (desfocagem ou dificuldade na focagem) dificuldade de concentração, dor de cabeça concomitante com tensão muscular (incomum).
Na Clínica Coluna Porto Alegre, a causa da Vertigem posicional paroxística benigna, é tratada com um plano terapêutico que combina, além do alinhamento postural, abordagens terapêuticas modernas que estabilizam a crise, prevenindo novos episódios críticos.
 
FONTE: https://washingtonmedicalcenter.wordpress.com/2015/08/29/cervicalgia-e-labirintite/
 
Clínica Coluna Porto Alegre. Equipe multidisciplinar especializada no tratamento e prevenção das dores da coluna, com tratamento individualizado e direcionado para resolução de sua patologia. ☎️ 3027.3677 ou whatsapp (51) 9944-5703. Dr. Jorge Schreiner e Dr. Lucas Zanetti Porto Alegre. 📌 www.colunaportoalegre.com.br.
 
http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/09/tonturas-afetam-quase-30-da-populacao-mundial-segundo-oms.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *