ESPESSAMENTO DO LIGAMENTO AMARELO DA COLUNA VERTEBRAL E TROPISMO FACETÁRIO

CHOCOLATE AMARGO PODERIA MELHORAR O DESEMPENHO DE ATLETAS.
28 de April de 2016
PARACETAMOL PODE ACABAR NÃO APENAS COM A DOR, MAS TAMBÉM COM A EMPATIA
23 de May de 2016
Mostrar todos

ESPESSAMENTO DO LIGAMENTO AMARELO DA COLUNA VERTEBRAL E TROPISMO FACETÁRIO

ESPESSAMENTO DO LIGAMENTO AMARELO DA COLUNA VERTEBRAL E TROPISMO FACETÁRIO

O ligamentum flavum, também conhecido como ligamento amarelo (LA) devido à sua coloração, é uma estrutura da coluna vertebral que recobre as paredes laterais e posterior do canal vertebral, estando em intimo contato com as estruturas nervosas. Seu espessamento pode ser uma das causas de estenose do canal lombar e consequentemente de dor lombar baixa, devido à compressão do saco dural e/ou das raízes nervosas. O LA representa importante papel na estabilidade da coluna vertebral. A sua elasticidade, entretanto, diminui com o envelhecimento, com gradual substituição das fibras elásticas por fibras colágenas, o que faz com que esteja provavelmente implicado em uma série de doenças da coluna. Estuda-se, por exemplo, o espessamento do LA como associado a estenose espinhal, posto que reduz o diâmetro do canal medular, comprimindo o saco dural e raízes nervosas. Esse fenômeno de espessamento e redução da luz contribui para a dor lombar e ciática, mesmo quando não há herniação ou esporões ósseos. As causas do espessamento do LA ainda são desconhecidas, porém, alguns pesquisadores postularam a hipótese de que micromovimentos nas superfícies articulares ao redor do canal levariam a diminuição da estabilidade das cápsulas articulares, levando assim a alterações degenerativas, como reações osteofitárias, espessamento e até calcificação do LA. Investiga-se, atualmente, quais outros fatores, além do envelhecimento, estariam relacionados com a espessura do ligamento amarelo: movimentos segmentares amplos a longo prazo e degeneração discal podem estar relacionados com a hipertrofia desse ligamento. O tropismo facetário é definido como a assimetria da angulação de ambas as facetas articulares na região lombar e lombossacra. Estudos publicados já estabeleceram uma relação positiva entre tropismos facetário e degeneração discal, herniação discal, e espondilolise vertebral e já se mostrou que a osteoartrite no envelhecimento pode interferir com o tropismo facetário e com o espessamento do ligamento amarelo em diferentes níveis.

Agende uma consulta com especialista em coluna e acabe com a sua dor. Dr. JORGE AFFONSO SILVEIRO  SCHREINER  CRM 11712 Dr. LUCAS CRESTANA ZANETTI CRM33985 Agende (51) 3325.2121

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *